(eu, comprando pães com saquinhos de pano reutilizáveis)

Quando eu comecei as pesquisas sobre reduzir meu lixo, cheguei num dos blogs mais legais sobre o assunto, o Zero Waste Home. A Bea Johnson tem um mandamento dos 5 Rs: Recusar o que você não precisa, Reduzir o que você já tem, Reutilizar o que você consome, Reciclar o que você não consegue Recusar, Reduzir ou Reutilizar; e compostar (em inglês, Rot) o resto.
Eu fiz uma listinha parecida, mas mais focada nas coisas (porque foi o que fiz na minha vida num primeiro momento e não só foi tranquilo como foi super legal parar e olhar o que eu fazia) pra ajudar quem quer começar e não sabe por onde – e pra quem quer questionar o que faz e ver no que pode mudar.

1º: Reduza
- Desperdício de comida (o que tem na sua geladeira e armário que já está estragado?)
- Compras desnecessárias (de cosméticos, roupas, comidas, tudo mesmo)
- Produtos de limpeza (a gente não precisa de tantos produtos, troque por: vinagre, bicarbonato de sódio e sabão de coco)
- Cosméticos (nós sempre temos demais e usamos de menos; busque alternativas mais naturais que
são menos agressivas e geralmente também tem menos embalagens)

2º: Reutilize
- Tenha: guardanapos e sacolas de pano, talheres, hashis e um pote de vidro ou copo de alumínio na bolsa e dispense os descartáveis correspondentes a esses produtos.
- Coletor menstrual (economia de muuuitos absorventes (não-recicláveis)/ano)
- Potes de vidro (multiuso: compras a granel, carregar água, pedir café, suco e outros líquidos sem ser num copo descartável)
- Compras a granel (levando seus próprios saquinhos ou potinhos, não gera nenhum lixo!)
- Compras de 2ª mão (de roupas a eletrônicos, comprar algo usado é bem mais barato e aumenta a vida útil dos produtos)

3º: Recicle
- Lave as embalagens antes de descartar (passe uma aguinha, simples assim)
- Separe o lixo reciclável (é só ter 2 lixinhos em casa!) e descarte na lixeira reciclável se morar em condomínio ou coloque no dia que passa a coleta seletiva (se não for no dia, não vale!)
- Tenha uma composteira em casa para o lixo orgânico!
Se você pensar que cada brasileiro produziu em 2013, na média, mais de 1kg de lixo por dia pode parecer difícil ficar sem produzir lixo, mas a verdade é que, quando damos mais atenção ao tema, fica fácil fazer substituições e repensar nossas escolhas de forma a diminuir de maneira drástica (e necessária) esse volume de 1kg/dia.

Desde que comecei o Um Ano Sem Lixo, fui adaptando várias dicas que li em blogs à minha rotina e percebi, na prática, que produzir menos lixo não é tão difícil assim. Algumas atitudes são bem simples e outras dão um pouco mais de trabalho, mas, no geral, todo mundo pode mudar uma ou outra coisinha nos seus hábitos e impactar positivamente.

Pensando que cada um pode incorporar pelo menos uma dica de como fazer para reduzir produção de lixo diária, listamos 5 maneiras realmente eficazes de como produzir menos lixo no dia a dia, todas testadas e aprovadas possíveis.

1. Compre Mais A Granel
Dispensar as compras normais com embalagens faz você produzir muito menos lixo. Tenha sempre sacos de pano para as compras secas (cereais, grãos, castanhas, macarrão, etc), potes para os úmidos ou em pó (conservas, farinhas, café) e garrafas para líquidos (azeites, sucos, molhos). Mesmo se você não conseguir comprar todas essas coisas a granel, vai estar reduzindo o número de embalagens drasticamente.

Além disso, mesmo que você precise comprar coisas nos mercados normais, tenha sempre sacolas de pano para compras como: pão e outras coisas na padaria, frutas, verduras, folhas.
Se não tiver alternativa, escolha as embalagens 100% recicláveis ou retornáveis como os potes de vidro – que você pode usar para guardar outras coisas depois.

Na cozinha vale a premissa compre menos, desperdice menos ainda. Nós já falamos sobre o por que "desperdício" é uma palavra muito mais suja do que parece, e enquanto compramos o que não vamos consumir, tem muita gente que precisa dessa comida "extra". Zero Waste Chef tem 7 dicas para uma cozinha lixo zero.

2. Troque Descartáveis Por Reutilizáveis
Tenha sempre na bolsa um kit de sobrevivência lixo zero. Para mim, o kit funciona com guardanapo de pano, um pote com tampa para bebidas (que pode ser um copo retrátil de alumínio ou uma garrafa retornáveis, nós já falamos sobre os benefícios de trocar as garrafas de plástico normais pelas retornáveis), talheres, hashis e uma sacola de pano para compras. Você pode adicionar toalha para evitar os papéis de banheiros públicos, dispensar os hashis se não costuma comer sushi, levar um lenço se tem muita rinite (ainda mais agora que começa a esfriar), aí é só adaptar à sua rotina.

3. Limpe Sua Casa Com Apenas 3 Produtos
Dispense todos aqueles produtos químicos nocivos que estamos acostumados a comprar e tenha uma casa mais natural, igualmente limpa e gastando muito menos dinheiro. Com o vinagre você desinfeta toda a casa diluindo ele em água como um desinfetante comum, usa como amaciante de roupas (pode adicionar gotas de óleo essencial com o cheirinho que mais gostar) e limpa móveis, superfícies e tecidos que tenham ou possam ter mofo. O bicarbonato de sódio funciona com o vinagre para limpeza pesada de superfícies e para combater o cheiro ruim de pias, sofás, geladeira, sapatos. O sabão de coco substitui o detergente para lavar a louça e ralando e misturando com a mesma proporção de bicarbonato de sódio, faz-se sabão em pó para roupas.

4. Faça Compostagem
O lixo orgânico não precisa ir parar nos aterros sanitários, pode voltar pra natureza virando adubo. Ter uma composteira é fácil, você pode comprar ou fazer uma. São três potes com minhocas que vão ajudar a decompor mais rapidamente os restos de vegetais, cascas, polpas, papéis e todo tipo de lixo orgânico. Depois, todo esse material vira um húmus super rico para adubar as plantinhas em casa, que você pode aproveitar para adubar vasos com temperos e ter sempre opções frescas pra cozinhar, economizando dinheiro na compra deles e também tendo menos desperdício.

5. Troque Produtos De Higiene Pessoal Por Opções Mais Naturais
Troque o xampu e o condicionador normal, líquido e embalado, por uma versão em barra (e que pode ser comprado sem embalagem nenhuma se você levar a sua). O desodorante também pode ser achado assim, ou você pode usar só o bicarbonato de sódio – funciona muito bem. Ao invés da escova de dentes padrão, de plástico, use uma feita de bambu. Outra dica para escovar os dentes de maneira mais eco-friendly é fazer sua própria pasta de dentes com óleo de coco e bicarbonato de sódio (de novo ele!), afinal, além das embalagem, a pasta de dente tradicional contém os nocivos microplásticos.

*Post originalmente publicado no Modefica.com.br. Para acessar o post completo, clique aqui.
http://inhonorofdesign.com/2014/09/conscious-closet-phase-1/

Uma das premissas do zero waste é usar tudo até "acabar" de verdade. O restinho de comida do prato, o finalzinho do hidradante e a roupa até estragar - de verdade. Com os preços cada vez mais baratos das roupas que estão na moda a descartabilidade dessas peças também é altíssima. Me pego a cada poucos meses fazendo limpas nas minhas coisas (e olha que eu não acho que seja uma pessoa que tenha muita roupa não) e tirando pilhas e pilhas de coisas.

Por isso a ideia de comprar roupas e sapatos de 2ª mão é tão bem aceita: ao invés de produzir algo novo, você está usando algo praticamente novo que alguém não quis mais. Nesse sentido, a gente quer peças de melhor qualidade, que durem mais lavagens, mais usadas, não rasguem tanto, não estraguem tanto e sejam mais versáteis na questão do estilo.

Qualidade x quantidade
Roupas de fast-fashion parecem durar o tempo antes da próxima coleção ir para as lojas: uns 3 meses, atualmente. Mais raramente a gente acha uma peça que não seja um transformer e na primeira lavagem mude de tamanho, descosture, mude de cor etc. Vale mais pro bolso e pra consciência ambiental ter menos peças e de qualidade superior porque elas vão durar mais tempo (então vão valer mais o custo de produção) e porque você não precisa repor o tempo inteiro (gastando menos individualmente e mais ao longo do tempo).

Consciência tranquila
Existem inúmeras denúncias de trabalho escravo para indústrias têxteis – fora do país mais comumente na China e na Índia, por exemplo, mas também aqui no Brasil. É difícil de confiar nas redes de fast fashion, mesmo as que dizem e tem muitas peças produzidas aqui (como a Riachuelo e a Marisa), mas é mais difícil de confiar nas etiquetas que dizem "Made in China".
A gente sabe que as condições de trabalho para se produzir uma peça vendida a um preço tão baixo são duvidosas e altamente questionáveis. Apesar delas não esbarrarem necessariamente na nossa legislação, eu não concordo com isso, então não quero mais ser colaboradora dessa roda.

Precisar x Querer
É simples: a gente não precisa de tanto. A gente é induzido a querer muitas coisas que a gente acaba comprando e nem usando (quem nunca, né?). Ou seja, você vai usar o que você tem e economizar em não comprar o que você não ia mesmo usar.

Custo ambiental
Fabricar roupas custa muito no sentido de recursos (dinheiro, água, luz, químicos para tingir os tecidos, mão de obra para costurar, transporte, armazenamento, venda) e a gente não precisa gastar tudo isso o tempo inteiro, nem ter esse custo com a roupa sendo pouco usada ou descartada rapidamente.

Roupas de 2ª mão são mais baratas
Fim. Brechós são bem mais baratos que lojas no shopping. Além de outras opções de graça, como trocas entre amigas e bazares de compra e venda com valores simbólicos.

É mais simples
Menos é mais fácil de lidar. E permite ser mais criativo, já que você vai transformar as mesmas peças em combinações diferentes.

Marcas locais são mais legais
Caso não dê pra comprar roupas de 2ª mão quando você precisar de algo novo, é mais legal comprar coisas de marcas locais e artesanais que respeitem conceitos mais ecológicos, como a Insecta Shoes, que já falei aqui.

Para seguir no assunto, acompanhe:
- Modefica (site sobre tudo dentro do mundo consciente e verdadeiro)
- Roupa Livre (movimento para aprender a olhar de um jeito diferente as nossas roupas)
- Paris To Go (blog super legal com dicas de otimizar seu guarda roupas)