Eu ando bem quietinha por aqui tem tempo. Desde que virou o ano, me pergunto como continuar o projeto, como continuar a não produzir lixo, como produzir ainda menos lixo, o que ir além do que já fiz. Era pra ser só uns diazinhos ou umas semanas de férias, mas acabaram sendo meses. E os últimos meses, como bem me avisaram Susan Miller e Mainá Mello (rs), foram de uma revolução interna e muito trabalho.

É obvio que eu comecei a me questionar também. É difícil ser blogueira, viu. Ter essa responsabilidade sobre você, as pessoas julgando com o olhar, as vezes que a vontade é largar tudo e comprar um chocolate mas lembrar que tem embalagem e se sentir mal. Eu dei palestra, falei num TEDx, respondi muuuuitas entrevistas e muitosssss emails e comentários de vocês. Tem sido ótimo, aliás. Nunca vou me esquecer da sensação em estar em uma palestra e metade das pessoas dizer que foi porque me conhecia. É lindo demais. Também é lindo ser inspiração pra uma coisa tão bonita, uma causa tão boa pra todos nós que é ser mais sustentável. Mas não é fácil, né.

Quando eu comecei as mudanças pra passar a viver sem lixo, em 2015, eu achava tudo fácil. Mas eu tava empolgada, feliz e tão afim de realmente fazer as coisas que obviamente eu tava achando fácil. Mas viver sozinha, ser 100% responsável por tudo na sua vida, trabalhar e cuidar de um gato e um cachorro dá um trabalhão. E aí eu descambei e passei a achar muita coisa difícil.

Tenho produzido bastante lixo. Reciclável, basicamente, porque não tenho conseguido me organizar pra comprar comidas a granel e porque os preços subiram muito nessas lojas. Acabei ficando na facilidade de comprar um saquinho de arroz, apesar de todo o remorso. Desde que a Filó (a cã) chegou na casa, então, meudeusdocéu quanto lixo. Foram muitos jornais até eu conseguir o sanitário canino que usa areia biodegradável. Ela destruiu muita coisa - e a maioria de tecido, nada reciclável e que eu não tinha mesmo como reaproveitar (vocês já viram como os bichos deixam as coisas destruídas?). Até hoje rolam pequenas destruições, brinquedos que vão estragando, coisas que ela derruba e quebra. Sim, Filó é uma cã saltitante e fofa, mas que cria um pequeno caos ao seu redor.

Em suma: me desorganizei completamente. Sigo com a composteira, a bucha vegetal pra lavar louça, fazendo meu sabão em pó e outras mil coisas que reduziram meus lixos, mas a sensação de estar falhando é tão grande, gente. É que sou perfeccionista também, viu.

Todo esse desabafo pra dizer que: agora vai.

Tô planejando novos posts finalmente, novas parcerias que vão ser incríveis, novas ideias e em breve e aos poucos elas vão chegando por aqui, no facebook, no grupo do facebook, na newsletter, no instagram, no snapchat (@cristalmuniz) e no twitter. Ufa!

Mas vamos conversar? Gosto tanto dos comentários aqui no blog e queria muito saber: o que é mais difícil pra vocês? Vamos nos ajudar falando do que é difícil também, porque é importante a gente lembrar que a realidade não são só fotos bonitas e flores.

36 comentários

  1. Não pense que você está falhando - sei por experiência própria como é difícil ser 100% responsável por tudo na sua vida. Pense no quanto você já mudou e quantas pessoas aderiram a um consumo consciente e responsável por sua causa! Bem-vinda de volta! Bjks Um passinho de cada vez. ��

    ResponderExcluir
  2. Cristal, mas acho que o ponto é justamente esse! Fazer algo que é transgressor da normalidade social, dentro da cidade, sem mudar para uma eco vila, por exemplo, é muito difícil! É foda!!! Porque tudo ao nosso redor nos incentiva para outra direção. e justamente por isso que esse espaço que você criou é tão importante: cria um ambiente para compartilharmos idéias e dificuldades nesse movimento de tentar fazer as coisas diferentemente... e obrigada por isso!!

    ResponderExcluir
  3. Ah eu gosto tanto daqui :D não desiste não Cris, olha eu acho que a gente quando começa uma revolução assim tão grande dessas tem desafios e também enfrenta altos e baixos mesmo, as coisas estão sempre mudando e a gente segue tentando se adaptar da melhor maneira, hoje eu fiz uma pequena coisa que me deu tanta alegria e ânimo pra continuar a redução de danos e de lixos que vou te contar, viu, eu adoro tomar chazinhos, mas antes de ganhar mais consciência, nem sempre comprava na feira, as vezes comprava nos supermercados ou em farmácias e como tenho mania de guardar as embalagens que acho bonitinhas, organizando umas coisas achei um monte de embalagem de chá e aí pra não jogar fora acabei decorando uns caderninhos sem graça que tinha aqui faz tempo, ficou muito bonito e sustentável, foi tão simples, uma das vantagens de seguir nesse caminho é que a gente se reinventa sempre, né. beijos.

    ResponderExcluir
  4. Agora que cheguei por aqui... por favor, retome seu pique porque gostei muito dos seus posts.
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://nanaeosamigosvirtuais.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá Cristal..... sempre leio suas postagens e tem me incentivado bastante... gostei que você falou das suas dificuldades, pois na prática realmente não é fácil... principalmente quando as pessoas ao seu redor não compartilham da mesma ideia... força e não desista. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Penso a mesma coisa Vanessa. Na minha casa todo mundo acha um exagero e ri de mim por querer fazer as coisas mais sustentáveis. O problema é que nunca falei pra ninguém fazer igual se quisesse, nem nada. Como sofro, só lavo minha roupa quando não tem ninguém em casa e meus cosméticos feitos por mim ficam escondidos por vergonha. É muito ruim me sentir assim.

      Excluir
    2. Vergonha é destruir o meio ambiente. Vergonha é paga o triplo do preço em um produto que você faz em casa. Desde quanto ter cosméticos de marcas famosas é motivo para se orgulhar. Estamos vivendo uma inversão de valores. Quanto tempo vai durar o petróleo no mundo? E se...o petróleo acabar?

      Motivos para ser orgulhar:
      Não fazer mal a nenhum ser humano ou outro ser vivo.
      Não mentir ou enganar.
      Honra a teu pai e a tua mãe.
      Não furtarás.
      Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.
      Não cobiçarás coisa alguma do teu próximo.
      Não ter má conduta sexual.
      Não se entorpecer com álcool ou drogas.

      Excluir
  6. A coluna do Guardian que cito aqui http://m.mdemulher.abril.com.br/estilo-de-vida/m-trends/conflitos-que-encontramos-na-hora-de-optar-por-uma-vida-mais-sustentavel me ajudou bastante a entender as cobranças e ser menos rígida ;)

    ResponderExcluir
  7. É muito bom você abrir o jogo...bom pra você que desabafa e bom pra todos q te acompanham..pois realmente quem olha as fotos acha q é tudo lindo maravilhoso e fácil....mas nada na vida é fácil...mas o seu difícil muda o mundo! Tudo q vc já faz e incentiva os outros a fazerem é divino e revigorante!

    ResponderExcluir
  8. É muito bom você abrir o jogo...bom pra você que desabafa e bom pra todos q te acompanham..pois realmente quem olha as fotos acha q é tudo lindo maravilhoso e fácil....mas nada na vida é fácil...mas o seu difícil muda o mundo! Tudo q vc já faz e incentiva os outros a fazerem é divino e revigorante!

    ResponderExcluir
  9. Cristal, esses momentos de reavaliar e se conectar consigo mesmo, acho que são normais. Todos nós temos isso.
    Eu moro no interior é também complicado. Longe dos grandes centros em que você encontra um pouco mais fácil, à lojas a granel, entre outras opções mais sustentáveis. Ainda estou fazendo muito pouco sobre a redução de lixo... mas estou tentando. E acho que isso é extremamente importante... só o fato de você questionar suas condutas, seu estilo de vida, e tentar fazer algo a respeito já é o início para promovermos, futuramente, um mundo melhor! Esse é meu pensamento. Você é uma pessoa que inspira a todos nós! Continuemos na luta. :D Obrigada! :D

    ResponderExcluir
  10. Esses espaços são a melhor forma de nos mantermos, dentro do possível, perto das nossas convicções. A feira orgânica perto da minha casa vende tudo embalado. O mercado não orgânico, não. Sempre fico tentando ponderar o que é pior e prefiro os orgânicos embalados... e a cada bandeja de isopor, quero me matar. É foda e me irrita que o carinha que vende orgânicos não entenda porque eu reclamo tanto da bandeja de isopor. Mas esses espaços criam mais pessoas que reclamam do excesso de lixo, de químicos, de bizarrices em geral e aí, eventualmente, ele vai entender. O importante é a gente ter consciência, seja até das merdas que a gente faz, do que viver uma vida sem questionar nadinha. Parabéns pela iniciativa, pela tentativa e até pelos seus erros. Assisti sua palestra no TEDx online e você estava ótima! :)
    Agora uma dúvida: o que você acha sobre triturador de alimentos na pia da cozinha? Os caras vendem como se fosse a solução para o lixo orgânico, mas eu não achei nada brasileiro sobre, apesar de venderem no walmart brasil e tals. Se for bom mesmo, talvez seja uma solução prática pra quem tem medo de composteira ou acha que vai dar trabalho, cheiro, sei lá.

    ResponderExcluir
  11. Oi Cristal, achei muito legal você fazer esse post com muita sinceridade. Quando nos propomos a fazer algo, esperamos fazê-lo da melhor forma. Acho que você propôs um desafio muito alto a si mesma, que é não produzir nenhum tipo de lixo. Isso é algo muito difícil e se você for levar isso à risca, vai ser preciso uma mudança de hábitos que nem sempre é fácil. Nós vivemos dentro de uma cultura e uma sociedade que nem sempre facilitam a busca por uma vida diferente. Acho que é normal bater esse desânimo principalmente porque você tornou parte da sua vida pública, e essa sensação de constante vigia pesa sobre você. Mas acho que você deve ficar feliz pelas mudanças que você já conseguiu fazer, por tudo que você alcançou com o blog e por todas as pessoas (como eu) que você conseguiu inspirar. Para as coisas novas, as poucos vamos encontrando soluções ou alternativas. Não pense que você é uma farsa quando produzir algum lixo, você não é obrigada a não produzir lixo, mas está se propondo a diminuir sua produção a cada dia e para oa não der, tente ser o mais sustentável possível. Se todos fizessem o pouco que você faz já teríamos uma grande diferença!
    Meu conselho é esse: tente pensar no pouco, no processo, e não no todo.
    Produzir lixo não pode ser uma preocupação. Depois que eu conheci o blog eu quis ir atrás de muitas coisas, ter uma composteira e usar guardanapos de pano. Mas enquanto eu não posso comprar uma composteira ou enquanto os guardanapos não ficam prontos, eu não posso ficar mal por não reciclar o lixo ou por usar um papel descartável.
    Ficou um pouco grande mas espero que faça sentido haha
    C
    Você é muito especial por se preocupar com as coisas que poucos ligam.

    ResponderExcluir
  12. Oi Cristal! Conheci seu site semana passada quando minha roomate me apresentou! Eu ja morei em Ecovila, e la tinhamos todo um processo com o lixo muito bonito!Com minha outra roomate nós reciclavamos quase tudo, ela é curitibana e descobri hoje (após sair de uma palestra sobre consumo consciente, que la, houve na decada de 80 uma conscientização imensa sobre isso). Te entendo completamente, e vejo o quanto é dificil produzir zero lixo... Eu nao vou dizer que consigo, mas quando consumimos com consciencia tudo fica melhor! E esse passo vc ja deu! To amando suas dicas, essa semana vou tentar fazer o sabão em pó! To vicada no site! Tenho um cachorro de 13 anos e entendo completamente a bagunça que eles fazem na casa(o meu destroi coisas ate hoje), mas o amor que vem em troca compensa tudo! Uma das coisas que aprendi foi: não se conre tanto, vc ja esta dando o seu melhor!! Beijos

    ResponderExcluir
  13. Talvez sirva de inspiração para o "agora vai" saber que descobrir seu blog e ter lido ele inteirinho fez com que eu mudasse meus hábitos, minha rotina, e consequentemente minha vida (e agora tento mudar a dos outros também). Muito obrigada!!!

    ResponderExcluir
  14. Poxa Cristal, não desanima não! Você tem feito a diferença P tanta gente, incluindo euzinha. Conheci seu blog em fevereiro deste a ano, aprendi muito e me encorajei P fazer várias mudanças em minha rotina. Ainda ontem pensava em fazer uma página contando minha experiência em uma cidade do interior do rio grande do Sul. Aqui é um pouco mais difícil achar alternativas como cereais a granel, e achei q seria interessante conversar para incentivar as pessoas daqui a fazerem pequenas mudanças e trocar ideias mesmo. Do modo como penso, não deves te culpar por não seguir à risca tuas próprias propostas, mais importante que isso é buscar um equilíbrio fazendo aquilo que está a seu alcance no momento, toda pequena ação faz diferença! Força guria! E obrigada pelo incentivo que me destes através do blog :)

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  16. Sempre'fico'curiosa a respeito da duchinha pra se limpar no banheiro depois de fazer as necessidades.

    ResponderExcluir
  17. Ah, que bom que vc vai 'voltar', hehe!
    Gosto muito do blog também.
    Ah, eu tenho tentado seguir uma vida mais sustentável, mas muitas vezes eu sinto que estou falahando também.
    Uma grande dificuldade para mim é comprar algumas coisas para fazer trocas mais ecológicas, porque eu estou numa fase complicada, rs. Explicando melhor, eu to com uma lesão no joelho e me readaptando, e não posso nem consigo andar muito nem ficar mt tempo em pé. Então, apesar de saber que seria possível, não tenho como ficar andando pela cidade procurar onde vende coisas a granel. Bicarbonato de sódio, por exemplo. Não achei nenhum lugar que vnda a granel perto de casa, então tenho que comprar pela internet. Eu tento comprar em uma quantidade grande pra reduzir a frequência e me consolo pensando que usando o bicarbonato, deixei de comprar um monte de outros produtos embalados, mas fica triste quando ele chega todo enrolado em plastico, papel, papelão. Seria mt menos desperdício se comprasse a granel.
    Tenho tentado comprar vegetais e coisas frescas numa feira orgância do lado da minha casa, e levo minha sacolinha, fico feliz com isso. Mas algumas coisas ainda tenho que comprar no mercado com embalagem.
    Enfim, estou tentando progredir também!
    Seus posts me ajudam muito, estou seguindo várias dicas!
    Faço meu próprio sabão de lavar roupa agora, receita que peguei aqui!
    Assim que meu shampoo acabar, vou faze rum de vinagre e bicarbonato também.
    :)

    ResponderExcluir
  18. Não fique se sentindo mal por ter saído um pouco dos trilhos, toda e qualquer jornada tem seus altos e baixos. E só por ter inspirado tanta gente a repensar a sua forma e quantidade de produção de lixo já é coisa grande.
    Tenha orgulho do que conseguiu até agora e dessa comunidade linda que se construiu ao seu redor.
    Força e vou continuar te acompanhando por aqui e aguardando as novidades. ❤

    ResponderExcluir
  19. Oi Cristal, já vi que tem muitas mensagens de incentivo mas vim deixar a minha também pra somar! Eu descobri seu blog há uns três meses na busca de pessoas no Brasil que tivessem aderido ao zero waste e sou muito grata de você compartilhar sua trajetória e facilitar a vida de quem também quer viver de outra maneira. Eu tenho dado pequenos passos, mas sinto que já são enormes! Celebre cada passo e não se cobre! Gostei muito de ler seu sincero desabafo, não lemos o seu blog à espera de uma imagem falsa de perfeição, e sim atrás de uma inspiração pra enfrentar as dificuldades enormes de um estilo de vida colocado por forças muito maiores! Sabemos que não é fácil e nos unindo certamente somos mais fortes!

    ResponderExcluir
  20. Oi! Não desanima! Qual é a solução de sanitário canino com areia biodegradável? Também tenho uma cã que me faz gerar pelo menos 4 folhas de jornal por dia de lixo, mas me sinto pior ainda pelos malditos saquinhos para juntar fezes na rua. Já tentei usar papel usado para isso, mas não deu muito certo. O que você faz quando leva sua cã para passear na rua?

    ResponderExcluir
  21. Oi Cristal! Eu te conheci faz pouco tempo aqui no teu blog e achei a tua iniciativa tão legal, tão "didática". Mas eu não acho legal a parte em que tu se cobra demais, esse sentimento de cobrança tu podia colocar pra reciclagem - vai te fazer bem hehehe E outra, não passe vontade quando quiser um chocolate, ou um picolé ou qq outra coisa... A vida é muito curta para se privar de pequenos prazeres como esses. E ao fazer o consumo dessas coisinhas não vai em nada diminuir o exemplo que tu nos deu durante o ano sem lixo. Fique mais tranquila com relação a isso e todo o resto vai fluir melhor, vai ver.
    Te admiro muuuito, mesmo se eu souber que tu comeu um chocolate que tinha embalagem. Beijão :-)

    ResponderExcluir
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  23. Oi Cristal!
    Eu vivo em Brasília e aqui é tudo muuuito caro. As lojas que vendem produtos a granel costumam gourmetizar os alimentos mais comuns. Por isso, não tenho conseguido comprar tudo sem embalagens. Isso com certeza é o mais difícil para mim!
    Há alguns meses conheci o movimento Zero Waste e me inspirei a fazer um blog também. Tô no começo e ainda testando muita coisa, mas tô super inspirada e querendo apresentar o pessoal de Brasília a este modo de vida mais gentil com o planeta e com as pessoas ao nosso redor. Adoro seu blog e sou muito inspirada por ele!

    Meu blog: https://naodeixerastro.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  24. Sinto falta dos seus posts com mais frequência.

    Como mudar a mentalidade de produzir menos lixo?



    www.mundominimalistablog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  25. Oi, não faz muito tempo que conheci o seu blog... gostei muito, fiquei pensando em tudo, assisti a sua palestra.
    Eu acredito muito em tudo isso, tenho composteira há alguns anos, faço separação do material que produzo... mas tem coisas que fogem ao nosso controle.
    Por exemplo, tenho uma pequena que usa fraldas... fui na Morada da Floresta, comprei uma fralda de pano para tentar... por isso que as vezes é muito fácil falar... fazer é que são outros "quinhentos"...
    Minha querida filha fez xixi na fralda, tudo lindo, troquei o refil e coloquei o outro... mas quando chegou na hora do cocô... foi bem difícil. Tirar as fezes da fralda, lavar e conseguir tirar a mancha que fica. Existe sim a "invisibilidade" do lixo... sei que a fralda é a pior vilã, que demora anos e anos para se decompor... mas trabalho, tenho 03 filhas, compra, comida, casa e tudo mais... fica realmente muito complicado.
    Precisamos exigir que os fabricantes façam produtos que não impactam o meio ambiente, fraldas biodegradáveis...
    Eu tentei, mas não é nada prático.
    Temos muitos compromissos com tempo, trabalho, meio ambiente. Precisamos ter consciência mas praticidade é fundamental.
    Não sou a favor das fraldas, mas elas são muito úteis.
    Por isso que quando li o seu post de hoje, disse que ser sozinha e fazer tudo isso era fácil e agora com o cachorro e o gato, complicou.
    Imagina com crianças e são 03 filhas e faço tudo sozinha, carreira "solo".
    Mas dentro do possível e do impossível eu consigo, fazer um bom trabalho e não adiante comprar, cobrança gera culpa e não queremos encontrar culpadas, não ajudará.

    Tânia Peres

    ResponderExcluir
  26. Nossa... quanta identificação que senti, te lendo, com o meu momento de dar um passo atrás no que eu havia me proposto. Compartilho contigo minha reflexão, espero que possa ser legal :)
    Bjos!
    http://compaixaoparatodos.blogspot.com.br/2016/01/abracando-minha-humanidade.html

    ResponderExcluir
  27. Comecei essa jornada. Sempre fui perfeccionista e minimalista ao extremo. Além disso, tenho mania de limpeza. Os rótulos nas embalagens sempre me incomodaram bastante, não sei o motivo. Além disso, tenho dermatite de contato, entre outras alergias estranhas a substância desconhecidas.
    Comecei pela cozinha, depois banheiro agora meu quarto. Até meu hamster entrou nessa jornada. Sinceramente foi muito fácil para mim, só tenho o necessário (acho que essa satisfação que sinto faz parte do minimalismo). Quer um trabalho bem feito? Faça você mesma (acho que isso faz parte do perfeccionismo). Nada de objetos inúteis atrapalhando na limpeza. Nada de bagunça, livros agora só e-book. Felizmente isso faz parte da minha personalidade. Sim, também estou com problemas com material reciclável. Problemas foram feitos para ser resolvidos, você não falhou. Você me inspirou, inspirou tantas pessoas. Eu achava que era impossível viver sem lixo no Brasil. Eu não tenho gasto nenhum com o meu hamster, ele vivia roendo o frasco de comida de plástico, rodinha. Queria compartilhar fotos com outras pessoas, experiência, dicas.
    Os rótulos me incomodam tanto? Por quê? Rótulos, quem precisa deles? Por que eles exercem uma influência muito grande sobre as pessoas?

    Pontos fortes: satisfação pessoal, nenhum prejuízo financeiro é o meio ambiente agradece.

    Pontos fracos: reciclagem, (sim, eu tenho algumas coisas de plásticos).

    “Nasci para satisfazer a grande necessidade que eu tinha de mim mesmo.”
    - Jean-Paul Sartre.

    ResponderExcluir
  28. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  29. Acho que o importante é continuar se importando. Tentando. Fazendo o possível. E recomeçar, sempre. Como você faz.
    Nancy

    ResponderExcluir
  30. Oi, conheci seu blog agora. Fico pensando em qual caverna estive todo esse tempo, que maravilhas encontro aqui! Tenho uma preocupação enorme com a relação que exerço no e com o meio ambiente. Quero cada vez mais de-crescer, muito do conteúdo que você produziu nessa plataforma vai me ajudar! Grato :)

    ResponderExcluir
  31. Cheguei aqui há mais ou menos duas semanas, achei sua iniciativa fantástica. Já aderi a várias dicas, aliás ando dizendo que dá para viver só com bicarbonato de sódio e vinagre de maça rsrs...quero cada dia mais ser o mais sustentável possível e seu Blog está me ajudando muito. Desejo que você tenha motivação para continuar, o mundo precisa ;)

    ResponderExcluir
  32. Sei que esse post já é de um tempo atrás, mas precisei comentar pra dizer um obrigada. Porque não me sinto tão sozinha nesse sentimento de falha. Infelizmente, tudo que é "normal" conspira pra produção de lixo! E sempre me vejo numa posição de hesitar, ter de fazer e então não ter como "resolver" aquilo. Até porque tenho 17 anos e vivo com meus pais e mais uma irmã. Não sou eu quem compra as coisas, não tenho renda própria. Conversei com eles pra tentar reduzir o lixo da casa e eles super apoiaram - o que me deixou muito feliz! -, mas na prática não fizemos progresso ainda. Os ecopontos ficam longe, gasolina é cara e as coisas que seria necessário comprar pela internet - como a escova de bambu, por exemplo, porque aqui na cidade não tem - ficam o quíntuplo do preço por causa do frete. É fim de linha. Enfim. Um comentário-desabafo não pra dizer que desisto, mas que me sinto mais aliviada. <3

    ResponderExcluir