Passei a vida inteira querendo um desodorante que funcionasse direito. Sério. Não nasci com a graça de ter pouco cheiro nas axilas e vivia incomodada com a sensação de que aqueles desodorantes simplesmente não funcionavam. Os aerosóis me dão alergia. O roll-on parece que gruda na roupa para nunca mais sair. Detestava os cheiros e os sem cheiros pareciam não existir e nem funcionar. E pra coroar, todos eles tinham alumínio e outros químicos potencialmente nocivos na sua composição. A busca por um desodorante natural continuava.

Mas por quê se preocupar com o alumínio? Estudos já mostraram que ele pode estar ligado a doenças como o Mal de Ahlzheimer ou câncer de mama. Por isso, evito ao máximo.

Desde que comecei o blog, testei muitas opções e resolvi listar elas aqui, porque são muitas que funcionam e são muito mais naturais!

Bicarbonato de sódio – R$2

Lembrei que um amigo já tinha me falado de usar bicarbonato de sódio como desodorante e ta aí o melhor desodorante que já usei! É só pegar um pouquinho e passar na axila com a mão. Também dá pra usar um pincel de maquiagem gorducho pra depositar o bicarbonato na axila. Você vai suar mais, claro, já que não é antitranspirante como os normais. É um sal com poder bactericida que combate as bactérias que produzem o mau cheiro ali. Além disso, um potinho custa cerca de R$1,50 e vai durar uns 2 ou 3 meses. Diferente dos desodorantes normais que custam mais de R$10 e acabam em menos de um mês.

Vale testar e ver se você não tem alergia ou alguma reação. Muitas pessoas falaram lá no grupo do Facebook do UASL que tiveram reação ao bicarbonato de sódio, várias amigas minhas vieram contar que não deu certo. Por isso: testa e no menor sinal de arder, lava bastante e suspende o uso! Mas calma que não acabaram suas opções.

Teo e Aromaco, da Lush  – R$49


Os desodorantes da Lush, o Teo e o Aromaco, também são a base de bicarbonato de sódio (portanto, faça o teste se você tem alergia antes de comprar um deles). Uso o Teo desde sempre, dura muito (uns 6 meses) e funciona super bem! É meu desodorante favorito! :)  Ele parece uma barra de bicarbonato comprimida com cheiro bem forte de limão. Quando você passa ele dá uma esfareladinha. Ele custa R$49. :(
O Aromaco tem uma textura mais pra um sabonete ou um desodorante desses de stick e também funciona super bem. Custa R$48,10 por 100g (que também dura vários meses). Esse meu corpinho não gostou muito, não durou tanto tempo o poder desodorante. E o cheiro me incomodou, é de patchouli e bem forte (pra mim).

Os dois são vendidos em barra (só um papelzinho de embalagem) e precisam ser guardados em uma latinha longe da umidade. Ou seja, se você levar sua latinha na loja e não comprar embalagem nenhuma! :)

Crystal Stick – R$35

Só ouvi elogios do desodorante Crystal Stick que tem as versões em barra, roll-on e spray. Ele é feito de um mineral antisséptico que cria um ambiente alcalino impróprio pras bactérias que causam o cheiro. A barra de 120g custa em média R$35 e dura cerca de um ano (de acordo com os sites que vendem). Pena que vem numa super embalagem de plástico e parece que também tem alumínio. Além disso, rola uma polêmica sobre essa pedra ser extraída de forma danosa ao meio ambiente e/ou sua produção ser punk também. Por isso tudo prefiro evitar, apesar de citar aqui.

Desodorante natural de Aloe Vera, da Live Aloe – R$25


Testei esse desodorante da Live Aloe porque ganhei da marca e achei muito bom no começo! O cheiro é super maravilhoso, bem fresquinho por causa da mistura de óleos essenciais. Mas, depois de um tempo, percebi que não segurava muito bem o fator desodorante não. Ele é uma mistura de gel de aloe vera, óleos essenciais e álcool. Por isso, quem tem sensibilidade a álcool melhor evitar essa opção.

Ele é em spray e também dura bastante! Como usei poucas vezes, ainda tem mesmo depois de um ano, olha só! Mas um ponto bastante negativo é que percebi que ele manchou várias roupas claras de amarelado/verde.

Leite de Magnésia – R$7,5

Pra quem tem alergia ao bicarbonato, o mundo vai ser salvo usando leite de magnésia como desodorante! É só passar puro nas axilas ou diluir e colocar em um potinho spray. Tem quem reutilize embalagem de roll-on tirando a bolinha, enchendo o potinho de leite de magnésia e voilá! :)

A partir de agora, nada de desodorante com alumínio! Individualmente as opções que mostrei aqui parecem muito mais caras que os desodorantes normais. Mas, eles duram muito mais. Se você compra 1 aerosol por mês, gasta cerca de R$144 por ano em desodorante. Estimando que os da Lush duram cerca de 6 meses, você vai gastar cerca de R$98 por ano. Com o Crystal Stick, uma barra de 120g dura 2 anos e custa R$35. E a opção mais barata é bicarbonato puro, vai custar uns R$9 no ano! O leite de magnésia é super baratinho também, só R$7,50 pra uns meses! ;)

Pra ler mais:
- Receita pra fazer em casa um desodorante natural com óleo de coco e bicarbonato de sódio!
Várias pessoas me perguntavam o que eu fazia (ou faria) com o algodão pra tirar a maquiagem. Como eu não sou uma pessoa que segue lá muitas rotinas de beleza (hehe), nunca tinha pensado em um substituto que não produzisse lixo até que um dia vi no blog The Midnight Blog (que não existe mais, chateadíssima!) um post sobre os discos retutilizáveis de algodão que ela usava pra tirar maquiagem e outras coisas de rosto. Foi um momento "meu deus, que coisa genial, simples e... por que eu nunca pensei nisso antes?". A partir daí, passei a sugerir essa ideia pra todo mundo que me perguntava: fazer discos de algodão, usar toalhas mais velhinhas, etc.

Depois, como eu estava fazendo várias coisas da vida com a Letícia queridíssima da Amora Handmade, que faz trabalhos em tricô e crochê, pensei que podia ser uma boa fazer alguma coisa com essa técnica pra essa função. Falando com ela, pensamos que disquinhos de crochê podiam ser uma boa alternativa e foi aí que surgiu essa ideia:


Então, ao invés de usar as bolinhas de algodão quimicamente tratado, transgênico, poluente e que vira lixo de banheiro e vai para os aterros sanitários (um combo de coisas ruins!), a gente pode trocar isso tudo por uma solução simples: discos reutilizáveis de algodão:

– São super baratos pra fazer, você pode usar toalhas velhinhas, cortar e reutilizar esse tecido. Ou fazer os discos de crochê, só precisa de uma agulha, um tutorial simples e linha feita de 100% algodão (de preferência, orgânico).

– São super macios, apesar de todo mundo perguntar se não são muito ásperos. E não tem problema usar toalha não, só não pode esfregar como se não houvesse amanhã.

– A textura do crochê inclusive ajuda a tirar melhor a maquiagem, principalmente dos olhos. É muito bom, mesmo!

– Os discos provavelmente vão ficar manchados da maquiagem, mas ninguém vai morrer não é mesmo? :)

– Além de tirar a maquiagem, você pode usar eles para: passar tônico, máscaras, esfoliantes, etc.

Pra ler mais:
- Sobre o documentário True Cost, que fala sobre moda (e também sobre algodão)
- Transgênicos na moda também tem (sobre algodão transgênico)


Foto: Eliziane Pozzagnolo

Criar o Um Ano Sem Lixo fez uma coisa muito legal na minha vida: a união de pessoas incríveis ao meu redor. Pessoas que surgiam mandando mensagens se dizendo super impactadas (não sei ainda medir minha felicidade por isso), pessoas que tem marcas maravilhosas (alô Fefa Pimenta), pessoas que tem blogs e sites maravilhosos com muito conteúdo incrível vocês-têm-que-ler (Modefica e Nyle Ferrari ♡).

E foi assim que a Eliziane Pozzagnolo chegou na minha vida! Ela criou um projeto muito legal, que chama Cosmetologia Orgânica e é um projeto de educação na área de cosméticos naturais. Ela é farmacêutica e bioquímica e foi por isso que convidei ela pra vir aqui falar sobre cuidados básicos pra fazer seu cosmético em casa. Imprime, lê com calma, cola na geladeira: é informação essencial (muita coisa que eu também não sabia) pra nossos cosméticos naturais serem mais eficientes e duradouros:

Das atitudes ecológicas mais eficientes envolvendo rituais de beleza, criar seu cosmético natural em casa é uma das mais impactantes. Além do uso de substâncias biodegradáveis na formulação, o meio ambiente se beneficia especialmente através do reaproveitamento de embalagens e do consumo consciente. Para obter melhores resultados e evitar desperdício, basta aliar algumas técnicas básicas de manipulação a boas fontes de pesquisa.

Foto: Eliziane Pozzagnolo

Evitando a contaminação

O passo mais importante para quem faz seu cosmético em casa é evitar contaminação. Ainda que você esteja criando um produto de uso único, alguns cuidados simples devem ser tomados.

O primeiro passo é limpar todos os utensílios e a bancada de trabalho com uma solução de álcool 70, que pode ser feita por você mesmo rapidamente e estocada para usos futuros. É importante que você lave bem as mãos e, se possível, use máscara e luvas reutilizáveis pois fungos e bactérias presentes no ambiente podem crescer rapidamente em condições favoráveis, arruinando seu produto e oferecendo riscos à sua saúde.

A hora da criação é muito importante, mas saiba que em qualquer cosmético, a maior incidência de contaminação ocorre na hora do uso, especialmente ao se inserir água através de mãos molhadas em cremes, séruns e óleos. Para que isso não aconteça, evite o contato das mãos diretamente dentro da embalagem, reutilize espátulas ou colheres para tirar a porção desejada, lavando e secando-as na hora de utilizar, e também após. Usar embalagens com válvulas também pode ajudar muito, já que você não entra em contato com o produto e nem ele com o ar.

Outro fator para evitar contaminação, é fazer sempre pequenas quantidades, já que o produto fica exposto por menos tempo ao ambiente e ao uso diário.


Embalagens

O cuidado com o frasco utilizado para guardar o cosmético é de grande importância, já que calor e luz podem desestabilizar, rancificar e destruir as propriedades benéficas do seu cosmético. Sempre que possível, dê preferência ao vidro âmbar, reutilizando alguma embalagem que você já tenha em casa ou procurando-as em farmácias de manipulação. Além de ecológico, o vidro é o melhor material a ser reutilizado para cosméticos, pois ao contrário do plástico, não absorve o produto armazenado. É só lavar bem, passar a solução de álcool 70, esperar secar naturalmente e usar novamente.

A outra ideia chave no quesito embalagem é procurar uma opção que impeça o contato do produto com o ar e que forneça a porção do cosmético sem necessidade de contato das mãos com a porção que permanecerá no frasco. Para cosméticos menos consistentes, um tipo de frasco interessante é aquele que tem uma válvula de apertar para dispensar o produto, conhecido como Pump Up. Ele evita o contato do produto com o ar e a contaminação na hora de usar. Para seu cosmético líquido, priorize um frasco spray ou então um conta-gotas.

Ao usar frascos leitosos que não permitam ver o produto através da embalagem, abra de vez quando para ver se o cosmético continua normal, observando a aparência e o cheiro.

Pesquisa

Esse é um item indispensável e a parte mais divertida para quem quer tornar hábito a criação de cosméticos para uso próprio. Estude um pouco antes de fazer seu cosmético e, ainda que esteja seguindo uma receita, tente adaptá-la a você, otimizando o resultado. Pesquisando você aprende a fazer substituições e fica com um repertório infinito de cosméticos. É viciante!

Cada ingrediente tem características próprias e é fácil conseguir as informações sobre eles na internet. Você pode tirar proveito não só das propriedades terapêuticas dos ingredientes que usa, mas também de suas propriedades físico-químicas.

→ Por exemplo, óleos vegetais são absorvidos em velocidades diferentes pela pele, informação que faz toda diferença conforme idade, estação do ano, horário em que você vai usar e o tipo de pele que possui. Use essas características a seu favor e crie um cosmético natural e personalizado.

→ Já as manteigas vegetais diferem bastante em consistência, o que pode te ajudar na hora de tornar aquele cosmético mais molinho no inverno. Ceras de abelha ou vegetais também ajudam nesse quesito.

→ Óleos essenciais são o maior desafio, pois tem concentrações máximas aceitáveis e podem causar irritação, sensibilidade e manchas quando usados na forma errada ou por pessoas de pele sensível, alguns até podem ser cancerígenos em certas doses. Dedique um tempo especial a esses ingredientes. A natureza é linda, e com o cuidado necessário o benefício é pleno!

→ Para misturas que exigem aquecimento, use sempre um banho-maria, e faça o processo em fogo baixo, lentamente, para ter controle sobre a temperatura e não aquecer demais os ingredientes e destruir suas propriedades. Não use o microondas!

Óleos essenciais evaporam facilmente e não podem ser incorporados em soluções aquecidas. Espere para colocar o óleo no final da formulação, depois de resfriar. No resfriamento, siga mexendo manualmente até chegar ao ponto. Só então guarde no pote, evitando granulações. Se isso acontecer, aqueça novamente e repita o resfriamento com mais cuidado.

→ Para obter melhores resultados ao fazer cosméticos para o rosto, pesquise ativos específicos para o seu tipo de pele. Procure usar produtos leves. Manteigas puras, óleos vegetais, chás e hidrolatos são ótimas opções. E ao fazer esfoliantes, utilize pós mais finos e delicados para o rosto, e partículas maiores para o corpo.

→ Pesquise a qualidade dos ingredientes que compra. Sempre que possível dê preferência a orgânicos e empresas sustentáveis. Evite os refinados. Existem óleos que são frequentemente adulterados e outros cuja extração destrói o meio ambiente. Uma pesquisa entre amigos vai ajudar bastante a escolher uma empresa de confiança.

→ Nos dias de hoje a palavra conservante ganhou uma conotação negativa, mas saiba que existem conservantes naturais, e sua utilização é importantíssima para evitar desperdício, produtos estragados e problemas de saúde. No caso de cosméticos oleosos, a vitamina E, um antioxidante natural, ajuda manter os óleos estáveis por mais tempo e ainda tem propriedades ótimas para a pele. Adicione 0,5 a 1% no preparo. Já em produtos aquosos, não há salvação, faça sempre a quantidade necessária pra uma única vez. Conservantes naturais para produtos aquosos existem, mas não são de fácil acesso para uso caseiro. Para melhorar um pouco essa condição, ao invés de água mineral, utilize água destilada, o que pode prolongar um pouco mais a durabilidade desse produto.

→ Finalmente, tenha em mente que é impossível determinar o prazo de validade de um cosmético feito em casa, já que para isso são necessários testes de estabilidade e contaminação.

Parece muita informação, mas ao colocar tudo em prática você ganhará experiência e a cada nova tentativa um resultado ainda mais maravilhoso aparecerá. Com alguns cuidados, você poderá tirar o máximo proveito dos ingredientes que comprou e, no final, ainda obter melhores resultados.

Agora, mãos à obra!