Essa receita é bem parecida com várias que existem na internet. Eu me baseei nessa receita da Lauren, do blog Trash Is For Tossers, mas mudei algumas proporções e ingredientes, porque eu queria que ela fosse mais segura pra maior quantidade de pessoas. Como o bicarbonato pode irritar a pele, coloquei bem menos dele na proporção e acho que isso foi um dos segredos do sucesso. Poucas pessoas que seguiram as proporções ou levaram o desodorante pra casa no curso de beleza natural tiveram problemas.

Esse desodorante em creme é livre de alumínio, conservantes, perfumes e funciona melhor que os que têm essas tranqueiras.

Fazer esse desodorante em casa é bom porque você:


  • Para de usar desodorantes feitos com alumínio, esses convencionais de mercado;
  • Para de produzir a embalagem dos desodorantes (mesmo os naturais, eles tem embalagem normalmente de plástico);
  • Economiza muito dinheiro também, porque é uma receita que dura mais de um mês e custa pouquíssimo;
  • Você consegue fazer sem produzir lixo porque dá pra comprar bicarbonato e amido a granel + o óleo de coco em embalagem de vidro reutilizável;
  • Você escolhe a manteiga e pode alterar as proporções conforme suas necessidades (calor, muito cheiro, não gostar do toque molhado, etc).

Ele é feito de basicamente três ingredientes bem simples:


O bicarbonato de sódio é o agente bactericida que evita o cheiro ruim

  • Bicarbonato de sódio: o agente bactericida da mistura e que vai impedir que as bactérias que causam o cheiro ruim nas axilas se proliferem.
  • Amido: pode ser de milho, de araruta, de batata, de mandioca. Tanto faz. Ele vai ajudar a absorver o suor e controlar o suador. Claro que, sendo um desodorante natural, ele não é antitranspirante e suficiente pra deixar a axila seca o dia todo. É mais um auxílio mesmo.

  • Manteiga vegetal: a base do desodorante é uma manteiga vegetal que você escolhe a que usar. É muito comum ver essa receita em blogs de fora do Brasil com óleo de coco, mas aqui no nosso calor ele fica líquido muito fácil (em alguns lugares o ano todo), por isso eu não recomendo usar ele puro se não tiver frio. Além de segurar a mistura na axila, a manteiga hidrata a região.

Você vai precisar de:
  • 3 colheres de sopa de uma manteiga vegetal
  • 2 colheres de sopa de amido
  • 1 colher de sopa de bicarbonato de sódio
  • 5-10 gotas de óleo essencial (opcional)

Como fazer:

  1. Coloque a manteiga vegetal em um potinho de vidro em banho-maria para que ela derreta se ela estiver muito dura. Esquente a água aos poucos para não oxidar a manteiga.
  2. Quando estiver tudo derretido, misture os outros dois ingredientes.
  3. Para adicionar o óleo essencial, espere ficar morno a frio. Recomendo o de melaleuca pra quem tem problemas com muito cheiro e o de lavanda pra quem tem sensibilidade. Se você for usar outro, confira nessa tabela as indicações e restrições de uso. Não use nunca um óleo essencial de fruta cítrica porque pode queimar sua pele quando exposta ao sol. Respeite também a quantidade, você não quer uma axila machucada! ;)
  4. Guarde em um potinho de vidro bem vedado e use por 1-2 meses. Aplique com o dedo na axila depois do banho.

Proporções de manteigas vegetais que eu indico:


→ 2 partes de manteiga de cacau + 1 parte de óleo de coco
→ 2 partes de manteiga de manga + 1 parte de óleo de coco
→ 3 partes de manteiga de manga se você sua muito, mora em um lugar muito quente e prefere um toque mais seco e não tão "molhadinho", porque é uma característica da própria manteiga de manga
→ 3 partes de óleo de coco só se você morar em um lugar bem frio ou quando estiver no inverno, caso contrário o desodorante não fica cremoso, fica líquido e a mistura não fica homogênea

Dá pra usar qualquer outra manteiga vegetal que você quiser, essas são as que indico porque já usei, são fáceis e com preço acessível no Brasil. Eu sempre dou preferência pras matérias-primas brasileiras. Se você mora em outro lugar, pode tentar com outras manteigas como a de karité ou a de murumuru. Não sei dizer se vai funcionar do mesmo jeito pra todas, sugiro que você pesquise um pouco sobre a que quer usar. Mas não tem muito mistério! A diferença é normalmente no toque (mais ou menos oleoso), no cheiro (algumas tem cheiro característico) e da textura no calor (se fica firme o tempo todo)


Eu amo essa receita. Desde a primeira vez que fiz, nunca mais usei outra coisa. Ela não irrita a axila, segura o cheiro o dia inteirinho, é barata de fazer e cheirosa. Recebi muitos feedbacks positivos de pessoas que amaram e estão usando há um tempão também. Notei com o uso que algumas blusas ficam com a área que encosta na axila um pouco oleosa por absorver o desodorante. Sai na lavagem e não manchou. Você pode esfregar diretamente na blusa com um sabão de coco antes de colocar a roupa pra lavar na máquina, se achar que precisa.

Pras blusas brancas que costumam amarelar com o suor, eu recomendo esfregar bem com sabão de coco em barra e deixar quarando no sol com sabão e tudo, até a blusa secar. Depois é só esfregar bem, enxaguar e deixar secar no varal. Tenho feito isso com roupas brancas que mancham e tem sido sucesso.

Eu comecei esse blog faz três anos já (!!!) e, nesse tempo, eu me propus a para de produzir lixo devagar. Começou aos poucos e não tem como ser diferente porque a gente já vive uma vida corrida, é difícil pra caramba mudar hábitos. Mas, ao mesmo tempo, é super fácil deixar de produzir lixo em vários lugares porque a solução é simples, barata, fácil na maioria das vezes.

Listei três jeitos fáceis de reduzir o lixo que você produz baseados em todos os problemas que enfrentei, em todo lixo que produzia e deixei de produzir ao longo desses anos e dos lixos que às vezes ainda aparecem aqui em casa porque errei em algumas coisas. A ideia é mostrar que se você chegou aqui só em 2018 não tem problema, tem como começar hoje a reduzir seu lixo e, quem sabe, no fim do ano você chegou ao lixo zero? :)

As fotos mais curtidas do Instagram do blog tão aqui em várias dessas dicas básicas de mudanças ;)


1: Aprenda a dizer não


Recusar é o principal R da lista dos Rs do lixo zero (Recusar, Reduzir, Reutilizar, Reciclar e CompostaR), porque é a partir dele que a gente deixa de produzir muito lixo e de ter que lidar com muitos outros problemas.

É muito legal destralhar a casa, seguir a Marie Kondo e viver uma casa minimalista depois de uma limpeza por todos os cômodos. Mas é muito mais legal ainda se a gente não precisar chegar nesse ponto. Tem muita coisa que a gente aceita que não precisa, depois não usa e vira lixo. Como:

  • Canetas, bloquinhos de papel, caderninhos principalmente em eventos
  • Lembrancinhas e brindes de festas, eventos, lojas que não servem pra nada e você não vai usar
  • Praticamente tudo o que é de graça e brinde em hotel, presente de família, revistas ou livros, tudo o que você já tenha ou não precise
  • Contas em papel que poderiam ser débito em conta ou versão digital
  • Saquinhos plásticos pra carregar compras (leva o seu!)
  • Saquinhos plásticos pra levar vegetais da feira pra casa (leva o seu!)
  • Descartáveis em geral (leva o seu copo!)
  • Recibos de compras feitas no cartão (não precisa, tá no seu extrato!)
  • Embalagens de compras em geral (leva o seu!)
  • Guardanapos (leva o seu!)
  • Canudos (leva o seu!)
  • Sachês de molho (recusa)
  • Desconto pra levar mais 3 daquilo que você não precisa
  • Comidas que você não vai comer e vão estragar na sua geladeira (come o que tem antes!)
  • Cartão de visita (tira uma foto!)
  • Folder de lugar que você já sabe qual é o nome (tira uma foto!)

Todas essas coisas geram uma quantidade chocante de lixo todos os dias na nossa bolsa, casa, vida. Aprenda a recusar descartáveis, a dizer não pra tudo aquilo que não for o que você realmente precisa naquele momento. A diferença na minha vida foi impressionante. Antes sempre tinha recibos perdidos na carteira, a bolsa sempre tinha lixos pra jogar fora e a casa então? Eu costumava passear com uma sacolinha catando todos os papéis por aí pra limpar.

Evitar o lixo antes que ele aconteça é o principal hábito pra manter uma vida lixo zero. E uma vida mais simples. Por isso é o mais importante.

2: Pare de usar descartáveis


Um tipo de lixo que você precisa lutar contra são os descartáveis. Principalmente porque eles normalmente são feitos de plástico e não são reciclados. Hoje em dia os mares e oceanos enfrentam problemas assustadores de contaminação por causa do lixo plástico. isso inclusive já chegou na nossa água da torneira.

Faça algumas trocas simples pra chegar lá:
  • Guardanapos: use o seu de pano, tenha um sempre na bolsa.
  • Copos descartáveis: tenha sempre uma caneca ou um copo retrátil na bolsa pra beber fora de casa sem gerar esse lixo.
  • Garrafa plástica: você pode usar seu copo pra beber água ou carregar sempre uma garrafa de inox cheia d'água.
  • Canudo: um dos maiores contaminantes de plástico dos oceanos atualmente pode ser trocado por um reutilizável de bambu, inox ou até vidro.
  • Absorventes: troque os descartáveis pelos de pano ou por um coletor menstrual.
  • Talheres: tenha um kit com os seus dentro da bolsa e evite os de plástico e também os que vêm embalados em plástico na hora de comer fora.
  • Sacolinhas: leve sempre uma ecobag dentro da bolsa pro caso de precisar comprar algo fora de casa. Faça saquinhos de pano também pra comprar verduras, grãos, pão e outras coisas a granel sem precisar da embalagem do lugar.
  • Depilador / barbeador: use um reutilizável como meu safety razor.

3: Aprenda a fazer você mesmo


Um dos grandes pulos depois que você começou a dizer não para um montão de coisas, passou a carregar esses itens na bolsa pra evitar lixo fora de casa e substituiu alguns itens como absorventes e gilete pra depilação é começar a fazer seus próprios cosméticos e produtos de limpeza.

  • Xampu: use um sólido natural e produza só um papel de embalagem. Dura mais e é mais saudável.
  • Condicionador: use um óleo vegetal se precisar, como finalizador.
  • Sabonete: compre os artesanais naturais e, se tiver na sua cidade, você pode comprar sem embalagem.
  • Pasta de dente: faça a sua em casa usando óleo de coco e bicarbonato de sódio.
  • Sabonete pro rosto: pare de usar e lave o rosto só com água.
  • Sérum de tratamento facial: siga essa receita e use umas gotinhas antes de dormir. Sua pele vai ficar incrível.
  • Desodorante: faça essa receita em creme ou essa líquida em spray e nunca mais tenha problemas com cheiros.
Pra limpar a casa você pode usar basicamente sabão de coco, bicarbonato de sódio e vinagre. Nesse post eu explico todas as trocas que você pode fazer. Também dá pra trocar o sabão em pó comum por esse sabão líquido que é natural, mais barato e tão eficaz quanto.

Minha dica é: vá fazendo tudo aos poucos. Veja o que você precisa primeiro, vá trocando os cosméticos e produtos de limpeza conforme os que você tem em casa vão acabando. Assim essa mudança de estilo de vida vai ser gradual e confortável. Feliz ano novo mais sustentável e com muito menos lixos! :)

→ Você pode comprar esse ebook pra aprender a ter uma rotina de beleza natural com produtos feitos em casa.
→ Você pode comprar esse ebook que tem todas as receitas de produtos de limpeza naturais que você pode imaginar (incluindo tablete pra lava-louças).
Este texto foi gentilmente patrocinado pela Mercur*

Todo começo de ano tem o período de volta às aulas: vai tooodo mundo comprar materiais escolares. Quando a gente é criança é um dos melhores momentos do ano. E é justamente nesse comprar tudo de novo que a gente acaba tendo muitas coisas repetidas, comprando coisas novas pra substituir coisas que estão funcionando perfeitamente e desperdiçando – dinheiro e recursos.

Quando a gente fala de sustentabilidade, tem sempre que lembrar que na maioria das vezes o mais sustentável é não comprar coisas novas e usar o que a gente já tem em casa. ;) É totalmente esse o caso de materiais escolares e, pras coisas que a gente ainda precisa comprar, a gente tem algumas alternativas mais legais também.

Comece em casa: o que você já tem?


A maior parte das pessoas e famílias tem vários cadernos que não foram usados, canetas, marcadores de texto novinhos. Eu mesma tenho várias coisas desde a época do colégio (!!!). Separe tudo, teste e veja o que ainda funciona e separe o que dá pra usar esse ano.

Se você tem filhos: negocie com eles pra reencapar os cadernos e deixar eles mais atuais pro momento da vida deles – a gente sempre quer coisas com personagens, etc. Tente negociar pra não precisar comprar novos. Dá pra usar o site Canva pra fazer uma capa bonita, imprimir na gráfica e deixar o caderno único.



Veja se dá pra arrumar o que tá estragado. Algumas coisas só precisam de uma espiral nova, uma pecinha aqui, uma limpeza. Pros cadernos que só tiveram poucas folhas usadas, separe pra reciclagem as usadas e aproveita as que sobraram em branco!

Se você tem filhos, provavelmente também tem um grupo de whats com as mães da turma do seu filho. Que tal sugerir um bazar de coisas das crianças? Porque nem sempre o que a gente tem é interessante no próximo ano, mas o do coleguinha sem-pre é mais legal, né? Assim as crianças aprendem a dividir ao invés de comprar tudo zerado. Fora que vai ser uma economiiiia.

Mochila

Pra mim, mochila é uma compra que poderia ser feita pensando pra ser usada a vida toda. Se você já tem uma boa, funcionando, por que não continuar usando?

Se estragou alguma coisa, dá pra mandar em um sapateiro pra consertar zíper, alça, etc. Vai sair bem mais barato e você deixa de jogar fora uma mochila boa com um probleminha.



Agora, se você for comprar uma nova, escolha uma mais neutra que a criança/adolescente ou até mesmo você não canse de um ano pro outro do personagem, da cor. Algumas marcas têm garantia vitalícia do produto e isso é muito legal pra garantir que vai ser um bem durável como a Jansport, a Kipling e a que eu tenho da 2C2 (criada e produzida no Brasil!).

A minha mochila é impermeável, super forte pra durar em viagens, na faculdade e onde mais eu precisar usar, é produzida em São Paulo com materiais super resistentes e tem garantia pra sempre!!! Se eu tiver algum problema, eles consertam pra mim sem custo.

Lanche e almoço


Pra levar lanches é bom garantir potinhos de inox. Existem algumas opções bem legais em lojas de acampamento, como esses da Decathlon ou esses da Tramontina. Eles são melhores que de plástico porque não liberam substâncias na comida e são mais seguros e mais leves que os de vidro principalmente pras crianças! Falando em crianças, essa playlist da Bela Gil tem dicas ótimas de comidas saudáveis pra eles e essa outra playlist da Rita Lobo com marmitas gostosas pra montar em pote.



Pra comer fora de casa é legal ter sempre um kit lixo zero** na mochila com guardanapo de pano, talheres, hashis se for o caso, canudo e copo ou garrafinha. A garrafinha também é super importante pra beber bastante água! De preferência que ela seja de inox pra lavar e usar pra vida toda sem ter contaminantes dos plásticos como essa aqui. Uma coisa que pode ser muito útil é também ter um pedacinho de carvão ativado dentro da garrafinha pra poder encher ela na rua e garantir uma filtragem mínima da água.

** Se você usar o cupom UMANOSEMLIXO no site Paz em Gaia, ganha 10% de desconto nas compras acima de R$90 (isso inclui o kit lixo zero!). 


Dicas pra hora de comprar coisas novas:


– Cadernos: você pode usar os que você já tem, essa é a melhor dica. Dá pra reaproveitar folhas em branco pra perfurar e usar argolas de fichário – tem em lojas de scrapbook e papelarias. Você pode reaproveitar as argolas de um fichário antigo pra fazer uma nova capa (é só aparafusar em outra capa). Um fichário dura mais tempo e é só comprar folhas em branco! A Bea do Zero Waste Home recomenda esse fichário de alumínio, mas eu não lembro de ter visto por aqui. Mas é a melhor opção pra durar a vida toda.

Estojo que eu uso faz uns 10 anos e caderno que usei pra uma matéria do mestrado, pra aula de alemão e agora vou usar pra estudar pro vestibular.

Uma ideia muito legal é usar protetores de tecido pros livros, apostilas e cadernos. Assim eles duram o ano todo bem cuidados e dá pra mudar a cor e estampa sem precisar de um livro novo. Tem algumas opções de protetores aqui nessa lojinha, mas quem sabe costurar sabe que é super tranquilo de fazer. :)

– Pastas: aproveite o que já tiver. Troque os elásticos das que estão estragadas e elas voltam a funcionar perfeitamente. Prefira as de papel sem estampas brilhantes porque normalmente essas versões tem um plástico fininho que envolve o papel e dificulta e até impossibilita a reciclagem depois.

– Lápis/lapiseira: se você já tem uma que funciona, fique com ela! Se você precisa comprar uma nova, dê preferência pras que têm o corpo de metal – elas não vão quebrar e estragar tão fácil quanto as de plástico.

Uma dica pra manter as lapiseiras funcionando mais tempo sem problemas é não deixar grafites dentro dela, eles quebram e entopem o mecanismo mais fácil.



Lapiseiras são ótimos substitutos aos lápis porque duram muito mais e a gente usa só o grafite, sem precisar da madeira pra escrever.

– Lápis de cor, giz de cera ou pastel e outras coisas coloridas de pintar: ao invés de comprar um kit novo, que tal comprar só a cor que acabou? Na Mercur dá pra comprar o giz de cera tijolinho na versão individual, por exemplo. Muitas vezes uma ou duas cores acabam mais rápido porque a criança usa mais e quando a gente compra uma caixa pra repor só aquelas duas cores, acaba desperdiçando todo o resto.





Dá pra fazer a mesma coisa com lápis de cor, muitas papelarias já vendem os lápis separados e assim além de repor uma cor que gasta muito como o preto, também dá pra comprar cores especiais sem precisar de um kit inteiro novo. ;)

E claro, sempre tem a economia em fazer essa escolha!

– Borracha: prefira as opções feitas com borracha natural. A maioria das borrachas da Mercur são de borracha natural da qual a maior parte é adquirida por um preço justo de seringueiros nas Reservas Extrativistas do Xingu, Rio Iriri e Riozinho do Anfrísio, no município de Altamira, no Pará. Este projeto, o Borracha Natural, busca a (re)construção da cadeia sustentável da borracha, com base em modelos de negócio que promovam condições de real preservação da floresta e contribuam também para preservar a cultura e o desenvolvimento das comunidades.

Também tem ainda tem uma opção feita com reaproveitamento de materiais que iam pro lixo, a Borracha Lado B.


A embalagem é de papel kraft e a borracha tem vários tamanhos. ;)

Ela foi desenvolvida pra reaproveitar as cinzas de casca de arroz que são usadas pra gerar energia que antes iam pro lixo. Agora, o mais incrível é que essa borracha também tem um fator inclusivo muito legal: por ser preta, facilita pessoas com baixa visão porque tem contraste com as folhas brancas.

– Tintas: quem tem filho pequeno na escola normalmente precisa comprar kits de tintas guache individuais pra usar ao longo do ano. Mas esses potinhos acabam estragando muito rápido depois que são abertos. Foi pensando nisso que a Mercur criou esses potões de tinta com válvula que duram muito mais porque não precisa colocar o pincel direto lá dentro e você só pega a quantidade de tinta que vai usar na hora.



E também tem uma coisa muito muito legal que praticamente vem de brinde: aprender a dividir. Como os potes têm 500ml de tinta, cada turma pode comprar um kit com todas as cores ao invés de cada criança ter o seu kit individual. As crianças aprendem a compartilhar, a dividir e a respeitar já que é de todo mundo. Não é legal?

– Caneta: vários blogs de fora do Brasil como o Zero Waste Home e o Going Zero Waste sugerem opções muito legais de canetas-tinteiro que você enche de tinta pra usar sempre a mesma caneta. São canetas parecidas com as caneta-tinteiro de antigamente, mas com uma tecnologia melhor. Tem até algumas com a ponta esferográfica!



Você pode ver algumas opções aqui nesse link. Eu só achei pela internet opções importadas com preços mais razoáveis. Essa foi uma das que me pareceu melhor daqui do Brasil, mas acho que dá pra perguntar em papelarias por opções mais simples como essa! O importante é ter a opção de usar pistão e tinta em potinho, não refil – que produz lixo de plástico. ;)

Eu, particularmente, vou demorar muuuito tempo pra terminar as canetas esferográficas que tenho aqui em casa pra só daí pensar em comprar uma dessas e imagino que você também se encaixe nisso. Usar o que se tem antes de comprar coisas novas, lembra?

– Marcadores de texto: existem uns lápis-marca-texto que são neon e não tem plástico com os comuns! São uma opção melhor porque só produzem a madeira dos lápis e não o lixo do potinho de plástico + lixo da tinta da caneta. Por aqui eu tenho canetas marca-texto há tantos anos que acho que vou terminar minha próxima faculdade e eles vão continuar funcionando.

Pra outras coisas que eu não listei aqui, tente sempre pensar em:

  1. Usar o que você já tiver em casa antes de comprar algo novo.
  2. Evitar plástico sempre que possível.
  3. Comprar opções que sejam duráveis pra vida toda e possam ser reutilizadas sempre que possível. Escolher marcas que fazem produtos pra durar a vida toda, que priorizam a qualidade do produto em si.
  4. Escolher opções que tenham tamanho família pra compartilhar e durar mais ao invés de versões pequenas que geram mais lixo em embalagem.
  5. Escolher produtos que sejam feitos com insumos retornáveis como no caso da Borracha Lado B da Mercur.

Jogando fora o que for preciso


– Pras coisas que não tem como aproveitar, separe papel de plástico e outros materiais para a reciclagem.

– Você pode ter uma brigada da terracycle para separar materiais escolares na sua escola, condomínio, etc. Com esse projeto da terracycle, é só se inscrever no site deles e juntar os materiais estragados e que já acabaram. Clique aqui pra saber mais informações.

– Pra quem já tá na faculdade e acaba com um monte de xerox das disciplinas todo semestre, dá pra combinar com a turma de organizar um apadrinhamento da próxima turma dessa matéria e doar as impressões. :)

O Centro Acadêmico do seu curso pode ajudar também, catalogando as cópias por assuntos ou matérias. Se não tiver jeito, dá pra usar o verso como bloco de anotações e, no fim das contas, mandar pra reciclagem sem o grampo de metal nem nada adesivo.

Ufa! Que post longo! Mas é que tinha muita coisa pra falar. Ficou com alguma dúvida? Teve algo que eu não falei? Comenta aqui embaixo pra eu saber. :)

*Atuando sempre em função das pessoas, a Mercur propõe ajudá-las no desenvolvimento do seu bem-estar. Para isso, tem como base o compromisso institucional de unir pessoas e organizações para construir encaminhamentos e criar soluções sustentáveis. A empresa busca estar presente em diálogos significativos que promovam reflexões sobre o mundo em que vivemos. Essa publicação é o início de um relacionamento que a Mercur deseja ter com as pessoas sobre assuntos que considera importante. Fique à vontade para acompanhar os seus canais: Portal Mercur, Facebook, TwitterYoutube.