Este post foi gentilmente patrocinado pela Mercur*

Reciclar é super importante pra reduzir o impacto do lixo no mundo. Mas quando a gente não tem coleta seletiva disponível, parece que não tem o que fazer. Mas tem sim! O esforço ideal pra reduzir o problema do lixo nas cidades é em conjunto com indivíduos (a gente), público (o Estado) e o privado (empresas, escolas, marcas, instituições, etc). Mas quando o governo deixa a gente na mão, precisamos 1) ir atrás pra que não fique tudo como está e 2) nos unir pra pedir pro poder público o que está faltando. :)

Existem muitos jeitos de lidar com o lixo de uma forma mais legal pra todo mundo e tudo começa com: se responsabilizar pelo seu lixo! Olhar pros resíduos que você produz e cuidar deles, separando, compostando, reduzindo, reciclando, reutilizando é o 1º passo pra um cuidado maior com isso. Eu falo muito aqui sobre reduzir o lixo, mas a gente precisa lembrar que junto com esse esforço, precisa ter também o esforço pra encaminhar corretamente t.u.d.o!

O que é reciclável: papel, plástico, metal, vidro, papelão, embalagens em geral que estejam limpas e secas. Tudo isso dentro de uma sacola plástica ou uma caixa de papelão, depende como é a coleta do lixo onde você mora.

Uma das coisas mais legais que você pode fazer pra garantir que seus resíduos recicláveis vão parar na reciclagem e não no aterro sanitário é se unir com os catadores de lixo da sua cidade! Mesmo as cidades pequenas costumam ter pessoas que trabalham com o lixo, algumas vezes até mais organizados através de cooperativas de catadores ou associações. Procure e combine o que ficar melhor pra vocês: pode ser toda semana em um dia e horário eles passam recolher os resíduos na sua rua ou casa; pode ser um ponto de coleta perto da sede da cooperativa. Se você não faz nem ideia de como descobrir se tem ou quem são essas pessoas na sua cidade, baixa o app Cataki! Ele une as pessoas que querem reciclar com as pessoas que trabalham com resíduos secos.

Crédito: Freepik

A Mercur faz isso há mais de dez anos e é um exemplo do que toda empresa deveria fazer: se responsabilizar pelos resíduos que gera. Todos os resíduos recicláveis (papel, papelão e plástico) são doados para a Coomcat (Cooperativa de Catadores de Santa Cruz do Sul). Além da questão ambiental, também existe a responsabilidade social de entender que essa ação ajuda a gerar renda e manter um trabalho muito importante com essas pessoas que são muitas vezes esquecidas ou pouco valorizadas nesse ciclo do lixo urbano.

Além das doações de resíduos, a Mercur também contrata a Coomcat pra outros serviços, também empresta profissionais pra realizar manutenções na cooperativa e o mais legal: a parceria inclui visitas de funcionários da Mercur à cooperativa, como parte dos espaços de aprendizagem que fazem parte do plano de educação da empresa. É super importante que todo mundo conheça a realidade desse trabalho que, de acordo com a ONG Pimp My Carroça (1), coleta 9 em cada 10 quilos de material reciclado no país.

Outro local para onde a Mercur encaminha seus resíduos sólidos é a FUPASC (Fundação para Proteção Ambiental de Santa Cruz do Sul). Tem processos de compostagem de pó de fumo das fumageiras e de resíduos orgânicos como papel higiênico, resíduos de alimentos, cinzas de caldeira, entre outros que se tornam adubo orgânico vendido depois. A Fupasc também centraliza a destinação de embalagens de agrotóxicos das associadas e outros resíduos perigosos. Assim como a Coomcat, a Fupasc também tem visitas como parte da formação dos funcionários pra essa questão do lixo!

A gente fala muito de logística reversa das empresas, cobra muito que as embalagens sejam recicláveis e os produtos retornáveis e sustentáveis, mas falamos pouco sobre a responsabilidade de todo mundo em encaminhar os resíduos pra reciclagem principalmente quando não tem coleta seletiva disponível pela prefeitura.

É o que todo mundo deveria fazer, porque a gente deixa de jogar dinheiro fora, dá trabalho pras pessoas, aprende a lidar com o lixo de uma forma mais responsável. Vamos cobrar as marcas sobre o destino dos resíduos delas? Vamos parar de desculpa e usar o Cataki pra achar um catador perto da gente?

E pra ir além: descubra quem são os vereadores da sua cidade e veja como está a situação desse caso específico para saber o que fazer. Talvez você precise criar um abaixo-assinado, talvez você precise ir em uma reunião na Câmara municipal, mas é preciso cobrar.

Pra ler mais:

– O post Como ter um negócio mais sustentável e que gere menos lixo.

________

*Atuando sempre em função das pessoas, a Mercur propõe ajudá-las no desenvolvimento do seu bem-estar. Para isso, tem como base o compromisso institucional de unir pessoas e organizações para construir encaminhamentos e criar soluções sustentáveis. A empresa busca estar presente em diálogos significativos que promovam reflexões sobre o mundo em que vivemos. Essa publicação é o início de um relacionamento que a Mercur deseja ter com as pessoas sobre assuntos que considera importante. Fique à vontade para acompanhar os seus canais: Portal MercurFacebookTwitterYoutube.

Um comentário

  1. Oii, Cristal.
    Amei seu post. Aqui em Goiânia/GO há coleta seletiva, mas infelizmente, pelo que vejo nas casas, poucas pessoas fazem isso e se importam com isso. Na minha casa a gente separa o lixo em seco e molhado, e entregamos garrafas pets para os catadores. É pouco, mas se todos fizessem este pouco ajudaria bastante né!?

    http://larydilua.com/

    ResponderExcluir